25 outubro 2008

25deOutubro de 1147

LISBOA TEJO E TUDO...



Lisboa cravo e maresia
Lisboa meu nevoeiro,
crista da onda onde um dia
meu coração foi veleiro ! ...



Lisboa à beira da barra,
Lisboa à beira de mim.
Meu rio, barco e amarra...
Ida e volta, meu sem-fim...





Do meu livro SINESTESIAS

1 comentário:

jj disse...

Que bonito! Soa a canção...

Jinhos.