25 maio 2008

Nós e os lírios do campo

Nós, seres humanos, somos tão astutos que, se quisermos, podemos sim senhor "servir a dois senhores" e até a mais que dois, se isso se proporcionar. O único impedimento para tal reside muito simplesmente no carácter, na formação moral, na educação de cada um.
Hoje penso em quantos senhores servirá aquela Junta Militar que manda em Myanmar. Não tem ela servido as suas espantosas ambições políticas e privadas, fingindo que ajuda e serve aquele seu povo sofredor que afinal vem morrendo aos poucos, de abandono, por crueza e desumanidade de quem devia, pelo menos, consentir na ajuda oferecida pelo resto do Mundo ?
Fingir foi o verbo que usei, pois será ele sempre a imiscuir-se nas atitudes dos que sabem como servir a dois senhores sendo que, de um lado, está sempre o mesmo tirano ( ou sedutor )-o dinheiro, que sabe apresentar-se com múltiplos disfarces, e do outro lado está sempre também a fragilidade do Homem que tem todas as dificuldades em apenas se pautar por olhar os lírios do campo...

2 comentários:

jj disse...

De facto à semântica do verbo fingir está inerente sempre uma duplicidade, agora o aspecto da fragilidade intrínseca ao alvo do fingimento, bem que acuidade!... As coisas em que me põe a pensar! :P

Jinhos.

Anónimo disse...

Apesar da Beleza tão pura e inegualavel dos Lirios do Campo, apesar das minhas minhas limitações ...

Deus confia em mim!!!! Deus confia tanto em mim...

que previlegio!!!!

Um beijo amigo Vera