04 agosto 2007

Crepúsculo

Afinal há mais abordagens e outras juventudes...E eu nunca deixo de ter novas coisas a aprender!...




1-Do poeta grego AGELLOS SIKELLIANÓS



E eu tinha os olhos cheios
mas tão cheios de luz,
que,se fechasse as pálpebras,
ela jorraria como pranto,
como pranto- abrindo-se
em flores orvalhadas.
A luz cavava sulcos
em meu cérebro,aligeirando-o
como à árvore o vento
que lhe atira os frutos
ao chão,e aí,
libertas,as folhas
frondejam nas alturas
com um novo frémito.
A luz cavava sulcos
em meu cérebro e corria-me
pelas veias,lenta,calma...

2-DO POETA JAPONÊS FUJIWARA TEIKA

Por cobertura,
quando o vento do outono entardece
na noite que espera,
a dama da Ponte da Saudade
estende o luar...



Tradutores: 1-José Paulo Paes
2-Stephen Reckert

2 comentários:

Anónimo disse...

Que bom esta capacidade de nos sentirmos obra inacabada...
Ajuda-nos a perceber a GRANDEZA de DEUS...

OBRIGADO por relembrar
um beijo Vera

jj disse...

Onde vai desencantar estas pérolas? :P

Ambos deliciosos, muito embora o primeiro, para mim pessoalmente é qualquer coisa de extraordinário...

Jinhos.