27 janeiro 2009

O Caminho de São Paulo


Vem durando o ano em que a Igreja comemora a Conversão de São Paulo, dando-lhe a designação de Ano Paulino, de que eu nunca gostei. Quanto a mim, haveria outras designações menos frias, mais calorosas para nos fazer entrar "a fundo" no Extra-Ordinário que teve ( e que terá ) o fenómeno da conversão de um ser humano com uma estrutura mental completamente arreigada em princípios não só diferentes, mas opostos, contrários. CONVERSÃO, presupõe uma nova versão do que quer que seja e uma nova versão filosófica,intelectual e até dogmática de uma pessoa não é realmente de se encarar sem um enorme espanto e, posteriormente, um enorme respeito, uma enorme admiração. Daí à Estrada de Damasco só mesmo de mão dada com a nossa Fé... E então este Apóstolo do cara -a- cara, avesso às ruidosas exposições mas incisivo nos actos e até na doçura das palavras, surge-nos tão especial que, da sua acção à sua maneira de falar de Deus, o sentimos calorosamente a nosso lado, em muitas situações nossas, miseravelmente quase paganizadas...
...e a levarem-nos quase à revolta na Fé...
Perguntei hoje a Deus « onde está oTeu amor por nós ? a tua Misericórdia ?»
Aquela AMIGA, Senhor, porque o consentes ?
A nossa dor, Senhor, como a merecemos ? Onde o erro dela? E o nosso ?
E a resposta existiu para minha conformação, para minha meditação.
É o nosso percurso de vida . Será a nossa Estrada de Damasco ...

1 comentário:

jj disse...

Gosto tanta das Cartas. Todas!

Extra-ordinário, sem dúvida.


Jinhos.