20 junho 2008

Férias

É muito interessante saber-se que férias e feira são palavras filhas da mesma mãe latina e que, por conseguinte, nas duas subjaz a mesma ideia de pausa e liberdade e festa, que é como quem diz o soltar-se, o descobrir~se, o expor-se, o mostrar um outro lado de si mesmo que tantos imponderáveis obrigam a fechar por vezes "a sete chaves" dentro de nós mesmos. E é realmente uma alegria, uma festa, quando a "feira" dos nossos sentimentos, dos nossos gostos, dos nossos pensamentos e opiniões encontra o espaço para abrir-se e mostrar( ou propor ) o que tem de mais genuino "em stock"... Foi assim agora. E porque feira é troca, trouxe comigo um sem-fim de coisas novas, montes e vales a reverdecer,onde há poucos anos foram brasa ou labareda, pequenos rios represados a espaços criando praiínhas onde retoiçam crianças e jovens, cidades que conheci vilas e hoje se envaidecem de avenidas, rotundas, parques de estacionamento cronometrados e despropositados gigantes ,já não só super, mas hiper, locais de tudo vender... Um país novo a crescer sobre a raíz já exangue do outro que eu conhecera !
Mas há também as pessoas e as coisas novas que elas fazem, e as libertam para podermos falar de coisas boas e novas... E como é possível rodear-se a gente de uma tecnologia sem a qual já não se pode viver, já ninguém sabe viver...Rega-se a horta ou enche-se a piscina a horas impecavelmente certas sem ser preciso ir lá,estar por perto...As flores abrem na mesma mas maiores,mais coloridas, os morangais desdobram-se a dar frutos óptimos e rescendem por todo o lado os cheirinhos de cozinhar sempre húmidos e frescos...Aprendi a, pela noite, pelas longas conversas sob as estrelas, ouvir subitamente um eclodir de águas, sem ver chuva...Era uma espécie de "fantasma" zelador de hortas e jardins que chega sempre a horas e traz consigo o perfume da terra a envolver esta nova noção de liberdade...
PORÉM, numa outra latitude ,sem retornos mas interesses, sem o abraço da TERRA, sem o carinho de AMIGOS , coincidiu haver FEIRA, mas sem FESTA em liberdade, como é devido .As gentes da nossa Terra desejavam e mereciam trocar com " os rapazes da bola" as suas vis tristezas agora habituais, pelo voo libertador de uma límpida vitória que eles não puderam dar-lhes. Também trouxe "isto" das férias.Também isto é o Mundo Novo ! Continuaremos a ter que O aprender...

1 comentário:

jj disse...

Afinal, faltava-me ainda este. :)))) Que belas férias me parece que teve! :)))))

Nem todo o progresso/técnica é mau. A natureza reverdece, mais e melhor - parece, assim. Olhe, um pouco como estas nossas paragens blogosféricas. Posts haverá muitos, mas com esta abordagem da etimologia de uma palavrinha tão simples, poucos...
Estou encantada.

Jinhos.