02 junho 2010

2 de Junho


De Eugénio de Andrade :


Correr do tempo ou só rumor do frio

onde o amor se perde e a razão de amar;

- surdo, subterrâneo e impiedoso rio,

para onde vais sem eu poder ficar ?

4 comentários:

jj disse...

Meu Deus, que bonito!

E que precioso, um Amor assim.


Que passe o dia muito muito feliz, nada menos que isso, hoje. :))))

Jinhos.

Anónimo disse...

Que bonito mesmo...
Fiquei encantada com a fotografia...
E Claro! Eugenio de Andrade é sempre Eugenio de Andrade...

um bj
Vera

A Better MAN disse...

Estou encantado. Espero ainda ter essa sensibilidade algum dia. Meus parabéns pelos textos.

Maria-Portugal disse...

Quando os vestidos eram de noiva e não meros fatos de baile